Quem Somos

Somos uma associação sem fins lucrativos que congrega os portadores de ataxias hereditárias (recessivas e dominantes) e adquiridas de todas as regiões do País. Nascemos da necessidade de haver uma instituição que representasse os portadores de ataxia. Comecamos com uma parceria com um grupo de discussão conhecido por Ataxianet http://br.groups.yahoo.com/group/ataxianet. Foi o pontapé inicial que motivou a criação da ABAHE. Com a popularização da internet, os debates aumentaram em foruns como Facebook e Whatsapp, com grupos gerais e especificos, nos quais as pessoas podem trocar informações sobre assuntos relacionados a ataxia.

OBJETIVOS

A ABAHE tem como foco:

 

– Cadastrar  e representar os portadores de ataxias hereditárias e adquiridas do Brasil;

– Promover e incentivar o estudo das ataxias hereditárias e adquiridas na busca de novas formas de tratamento;
– Oferecer informações sobre orientações e tratamentos através da interação entre os associados dos vários Estados;
– Tornar mais acessíveis tratamentos e diagnósticos aos portadores;
– Divulgar as ataxias hereditárias e adquiridas através de encontros, simpósios, palestras, seminários e meios de comunicação;
– Defender a dignidade e os direitos dos portadores de ataxia como portadores de necessidades especiais (PNEs);
– Cobrar que o Sistema Único de Saúde ofereça condições para que terapias já existentes sejam aplicadas e colocadas à disposição de todos os portadores;
– .

SENSIBILIZAÇÃO PARA A ATAXIA

Uma das principais prioridades da Abahe é aumentar a conscientização sobre ataxias. Em 2015, a Abahe tinha pouco mais de 1.000 associados. Em setembro de 2017, esse número beira 2.000. Como você pode ver, estamos fazendo progressos, mas é claro que é necessário mais trabalho, assim como mais colaboração!

25 de setembro é o Dia de Conscientização da Ataxia e  pretendemos promover eventos ligados ao tema. Se você tem interesse em divulgar nosso trabalho, coloque postagem sobre a Abahe onde puder: nas redes sociais, em seu local de trabalho, escola, ou em casa, se tiver permissão para fazê-lo.

ESTATUTO

– Acesse aqui o Estatuto